• Dias Úteis

    9h - 18h

  • Sábado

    9h - 13h

  • Domingo

    Fechado

Wilma Perucas

alopecia areata

Entrevista Dr. Rubem Mateus Miranda- Dermatologista

Setembro é o mês de conscientização da Alopecia Areata, como já sabem, aqui na Wilma Perucas nós recebemos muitos clientes e também familiares de pacientes com essa patologia.

A informação e conscientização são muito importantes para uma convivência saudável, para diminuir o preconceito e ainda ajudar as pessoas a conviverem com a doença. 

Nós já falamos aqui no blog sobre a Alopecia Areata, por isso dessa vez decidimos fazer algo melhor. Convidamos o Dr. Rubem Mateus Miranda, dermatologista especialista em transplante capilar, Graduado pela Universidade Federal De Minas Gerais, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, Associação Brasileira da Cirurgia de Restauração Capilar e da International Society of Hair restoration Surgery, sócio da  Clínica Regis e do Instituto Belvedere, para nos esclarecer as principais dúvidas sobre Alopecia Areata.

Dr. Rubem o que é Alopecia Areata e qual ou quais são suas causas? 

Alopecia é um termo técnico para queda dos cabelos. A alopecia areata trata-se de uma doença autoimune, em que as células de defesa do nosso organismo “confundem” os cabelos e pelos do corpo com um “invasor”, atacando estas estruturas e levando às falhas e até a ausência total dos cabelos.

A Alopecia Areata é o mesmo que calvície? 

Não. A calvície é a alopecia androgenética, que consiste em um processo de afinamento progressivo dos fios, mais comum na região superior da cabeça, sendo herdada geneticamente. Existem mais de 200 genes relacionados à calvície. Pode acometer 80% dos homens e 50% das mulheres.

Qual o tipo de Alopecia mais comum em mulheres?

Alopecia androgenética e os eflúvios. Os eflúvios são quedas de cabelos momentâneas, que podem ocorrer apśo situações de estresse agudo, após cirurgias, após dietas restritivas, após o parto, por alguns medicamentos (anticonvulsivantes, alguns antidepressivos etc), por deficiência de algumas vitaminas e por alterações hormonais

Existe formas de prevenção?

No caso da alopecia areata não. O importante é quando notar o surgimento de falhas ou uma queda mais acentuada dos cabelos, procurar um dermatologista com experiência em tricologia para um diagnóstico precoce e uma abordagem inicial mais agressiva.

Existe tratamento definitivo para alopecia areata?

Em alguns casos sim, é realizado um tratamento com sucesso de 100% e em outros são necessários medicamentos de uso crônico. Cada caso é único.

Transplantes, terapia capilar ou micropigmentação? Nos fale mais sobre cada um e quando são indicados.

No transplante capilar retira-se fios da própria pessoa que são implantados nas área calvas. A indicação mais precisa é para a calvície, mas pode ser realizado em áreas de alopecia areata ou de outras alopecias cicatriciais, desde que estas estejam sem piora em um período mínimo de 2 anos. Importante ter área doadora (região da onde tirar pêlos) satisfatória para realizar o procedimento.

Terapia capilar a base de lasers e MMP (microinfusão de medicamentos na pele) são utilizadas para tratar principalmente graus moderados de calvície e eflúvios, com bons resultados.

A micropigmentação é utilizada naqueles casos que os fios estão ralos na região superior da cabeça, dando uma sensação de maior cobertura. Importante ser realizada por profissional capacitado e utilizado pigmento diferenciado. Também necessário fazer um teste alérgico antes.

Algum deles tem contra indicação? 

Transplante capilar é contra indicado, quando há ausência de área doadora e doenças auto imunes ( alopecia areata, alopecia frontal fibrosante, líquen plano pilar, lúpus) em atividade.

Já a micro, é contra indicado, quando há alergia ao pigmento

Quando o uso da prótese capilar é indicado? 

Nas alopecias extensas e nas alopecias cicatriciais mais avançadas. No caso da alopecia areata total, muitas vezes a resposta ao tratamento pode demorar meses, sendo bem indicado o uso de prótese. Nas calvícies extensas sem área doadora suficiente as próteses também são uma boa opção.

Qual a orientação para pacientes que tiveram o diagnóstico recente? 

Procurar um dermatologista com experiência no assunto, que se compromete com seu tratamento de forma ética, e que não prometa fórmulas milagrosas. O tratamento de qualquer causa de queda de cabelo é muito mais complexo do que se imagina, sendo necessária paciência e persistência.

Nós da Wilma amamos a entrevista. Esperamos que você também tenha gostado, e esclarecido as dúvidas.
Se ainda tem alguma questão sobre próteses e perucas, entre em contato com a gente.


Publicar um comentário